fbpx

Desde o início de 2022, acompanhamos a alta da inflação que gerou o aumento de muitos produtos básicos e também dos combustíveis. Essa diferença já afeta o bolso dos brasileiros e de muitos lojistas que estão enxergando a necessidade de alterar os preços de venda de produtos e serviços. 

Infelizmente, sem essa alteração, a maioria das empresas acabam perdendo dinheiro sem perceber. Segundo uma pesquisa da Abrasel, em menos de dois anos, cerca de 80% dos bares e restaurantes acabam falindo. E, geralmente, isso acontece por falta de planejamento financeiro. 

Se você é dono ou trabalha no setor de bares, restaurantes e lanchonetes e percebeu essa necessidade, acompanhe abaixo como fazer essa alteração de forma saudável, tendo lucros mesmo com essas mudanças. 

 

Quais custos considerar na hora da precificação?

Coloque na lista todas as despesas variáveis e fixas que você possui na produção. Confira abaixo exemplos de despesas variáveis: 

  • Ingredientes utilizados; 
  • Peças; 
  • Fornecedores; 
  • Embalagens; 
  • Serviço de transporte e entrega. 

 

Agora, as despesas fixas são os serviços básicos consumidos mensalmente que não deixarão de ser utilizados. Por exemplo: 

  • Água; 
  • Luz; 
  • Gás; 
  • Aluguel do local; 
  • Salários de funcionários; 
  • Limpeza; 
  • Impostos; 
  • Ganho desejado por prato oferecido. 

 

Como funciona o cálculo?

Vamos usar como exemplo um prato famoso na cultura do brasileiro, a feijoada. 

1 – Veja quanto custa fazer e disponibilizar cada porção de feijoada em seu restaurante. Por exemplo, para servir 12 porções é necessário comprar 1 kg de feijão preto, a um preço de R$6. No caso, são R$0,50 de feijão (R$6 / 12 porções) por prato oferecido. 

2 – Utilize o mesmo cálculo para os outros ingredientes, como o arroz e outros acompanhamentos. 

3 – Após isso, faça a soma de todos os itens do prato. 

4 – Usando como exemplo que o custo total por porção seja de R$4, vamos colocar uma margem de lucro de 30% para o estabelecimento. 

5 – Então a conta fica custo por porção ÷ porcentagem ideal de custo do alimento. No caso, R$4 / 30% = R$13 

  

Ou seja, cada prato de feijoada será vendido por um preço de R$13. 

 

Lembrando que é importante checar os concorrentes e verificar os valores contados nas despesas variáveis que podem mudar. Refaça essa conta sempre que necessário. 

Leve também em consideração os clientes que visitam o seu estabelecimento e perceba qual é o perfil deles. Isso ajuda a perceber quanto o público-alvo está disposto a pagar e determinar o preço dos seus pratos. 

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) possui um material completo para ajudar na redução de custos de bares e restaurantes. Clique aqui para ter acesso de forma gratuita. 

 

Receba os resultados das suas vendas

E que tal acompanhar os resultados dessas mudanças de forma eficiente? Verifique as cobranças por cada transação, antecipação, aluguel de máquinas e veja como está o movimento do seu estabelecimento com o Raio-X. Essa é a melhor plataforma amiga do lojista brasileiro. Com ela é possível analisar como estão as suas vendas e investir em no crescimento da sua empresa. 

Quer receber mais dicas para facilitar o seu dia? Então siga o Raio-X no Instagram, no Facebook e YouTube. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O controle

do seu

nas


negócio

suas mãos